quinta-feira, 18 de outubro de 2012

PAIXÃO...



Paixão é um fogo crescente, sentimento ardente ate onde da pra crescer, depois vai definhando e morrendo dentro da gente porque não tem onde mais a por... Mas um dia a saudade morreu dentro de mim... Afoguei a paixão e descurti você no instante que partistes deixando meu coração querendo desistir de tudo somente porque você o deixou aos pedaços...

Ivete Barros, 17/10/2012

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

TADEU PAULO, POETA QUE CONHECI NOS BLOGS DA INTERNET...


SAUDADE... 

Saudade...

Quando eu puder fazer do tempo um aliado 
cúmplice de meus desejos 
certamente terei de volta aquele meu melhor passado 
e o viverei em demasia até sufocar de amor todo calor desta saudade . . . 

(Tadeu Paulo, 2009-03-22)

ELIEZER SETTON, POETA QUE ENTROU EM MINHA VIDA QUANDO VIM MORAR EM ALAGOAS...


POR TE QUERER 

Por te querer

Te quero todo dia 
Te quero pra valer 
Te quero a todo instante 
Penso tanto que te quero 
Só não penso em te esquecer 
Te quero na alegria 
E ate no entristecer 
Te quero na distancia, 
Na sofrência,
Na saudade 
Te quero por te querer 
Quem provou do teu beijo saberá 
O que to dizendo agora 
Quem gozo do prazer de te abraçar 
Fica triste mais não chora 
Passarei, mais sei que não passaras 
Pois no amor o primeiro é de ficar 
Viverei na certeza que serás 
Um consolo pro meu coração 
Chamarei, mais de certo não viras 
Mas se for seu desejo eu deixo estar 
Saberei não querer querendo mais 
Pois pra mim o que importa é te amar...

CLARICE LISPECTOR, POETISA QUE ENTROU EM MINHA VIDA AOS 35 ANOS...


SAUDADE 

Saudade

Saudade é um pouco como fome. 
Só passa quando se come a presença. 
Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: 
quer-se absorver a outra pessoa toda. 
Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira
é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida.

CORA CORALINA, POETISA QUE ENTROU NA MINHA VIDA APÓS MEUS 30 ANOS...


DAS PEDRAS 

Das pedras

Ajuntei todas as pedras que vieram sobre mim. 
Levantei uma escada muito alta e no alto subi. 
Teci um tapete floreado e no sonho me perdi. 
Uma estrada, um leito, uma casa, um companheiro. 
Tudo de pedra. 
Entre pedras cresceu a minha poesia. 
Minha vida... 
Quebrando pedras e plantando flores. 
Entre pedras que me esmagavam Levantei a pedra rude dos meus versos.

CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE, POETA QUE ENTROU NA MINHA VIDA AOS 20 ANOS...


O MUNDO É GRANDE 
O mundo é grande

O mundo é grande e cabe nesta janela sobre o mar. 
O mar é grande e cabe na cama e no colchão de amar. 
O amor é grande e cabe no breve espaço de beijar.

CECÍLIA MEIRELES, POETISA QUE FEZ PARTE DE MEUS 11 ANOS...


MEU SONHO 

Meu Sonho

Parei as águas do meu sonho para teu rosto se mirar. 
Mas só a sombra dos meus olhos ficou por cima, a procurar... 
Os pássaros da madrugada não têm coragem de cantar,
vendo o meu sonho interminável e a esperança do meu olhar.
Procurei-te em vão pela terra, perto do céu, por sobre o mar. 
Se não chegas nem pelo sonho, por que insisto em te imaginar? 
Quando vierem fechar meus olhos, talvez não se deixem fechar. 
Talvez pensem que o tempo volta, e que vens, se o tempo voltar.

BRUNA LOMBARDI, POETISA QUE GANHEI AOS 18 ANOS...


POETAS E POEMAS: SUPERMERCADO 

SUPERMERCADO



Ainda ficou um pouco de teu cabelo no travesseiro 
de teu corpo no meu corpo 
de teu cheiro 
um pouco da tua colônia em alguns vestidos meus 
ficou no meu cotidiano um gosto bobo de adeus. 
Ficou um resto de shampoo no teu frasco no banheiro 
de tudo ficou um pouco 
de teu jeito, 
de teu cheiro. 
Ficaram umas coisas tuas espalhadas pelo quarto.
Ficou teu riso marcado na moldura no retrato. 
Em tudo ficou um pouco. 
Ficou nosso jogo de damas (eu branco, você preto) intacto no sofá-cama. 
Alguns discos teus, 
alguns livros na parede atrás da porta 
a gravura de Dalí e tua natureza morta. 
Um pouco de teu silêncio se espalhou pela casa 
tua xícara de porcelana verde e branca, sem a asa.
De você ficou um pouco 
do trem daquela viagem 
do nosso jantar chinês 
da nossa camaradagem. 
Ainda ficou tua letra em alguns papéis amassados. 
Em tudo ficou um pouco na rua, 
no supermercado. 
Ficou um pouco de você no mar, 
no rio, 
na serra na estrada da casa de campo na pedra, 
no gato, 
na terra. 
Ficou um pouco do teu rosto no rosto dos meus amigos 
ficaram palavras tuas em tudo aquilo que digo. 
Eu fiquei com o teu jeito de querer falar primeiro 
teu corpo no meu corpo 
cabelo no travesseiro.

PALAVRAS DO AMOR...


Um dia o amor me disse para não me jogar tanto nele, nem dei ouvidos... Me atirei, fui fundo, ralei minha alma, me transportei para lugares eternos e quando percebi, envolvida me vi percebendo que ele havia me feito bem mais também me deixado perdida em inúmeros momentos entre a alegria e a tristeza... Aí ele disse de novo, eu bem que te avisei... Hoje vivo entre a lembrança e a saudade de você... Eu ainda não esqueci que te amo...

Ivete Barros, 10/10/2012, as 15:29